Artigos

Morre Malcom Young, um ícone da “guitarra-base”

Malcolm Young, guitarra-base do AC/DC, com sua guitarra Gretch

A página oficial do AC/DC no Facebook emitiu hoje (18 de novembro) uma nota comunicando o falecimento de Malcolm Young.

O músico, que tinha 64 anos, estava afastado desde 2014, quando seus problemas de saúde começaram a afetar sua performance. O principal destes problemas foi diagnosticado como demência, que comprometia severamente sua memória imediata.

Malcolm deixou uma esposa, dois filhos, três netos e uma irmã, além de Angus. Semanas atrás, a família havia já perdido George Young, produtor, irmão de Angus e Malcolm.

Membro-fundador da banda ao lado do irmão Angus, o músico era uma das forças propulsoras da banda. Seus riffs e bases poderosas contribuíram decisivamente para o sucesso do AC/DC.

Não é exagero afirmar que Malcolm é um dos mais injustiçados guitarristas da história do rock. Embora seja aclamado e reconhecido pelos fãs da banda, sua importância talvez passe ao largo de quem não acompanha a banda com tanto entusiasmo.

Devido ao fato de seu irmão Angus ser extremamente carismático e ter criado um verdadeiro personagem/ícone do rock, Malcolm era muitas vezes eclipsado. O “ouvinte médio” do rock associa imediatamente a banda às diabruras de Angus, com seus solos incendiários, poses e vestimenta.

Malcolm não era um guitarrista de longos solos, ou que tenha se destacado pelo virtuosismo técnico. Mas quem tem um pouco mais de conhecimento musical compreende facilmente que os citados solos e performances arrebatadoras não seriam possíveis sem uma base consistente. Sem a porrada sonora de seus acordes poderosos.

Aliás, cabe aqui um esclarecimento técnico “guitarrístico”: Provavelmente você lerá muito por aí sobre seus “power chords”. Mas este é um termo muitas vezes empregado de forma equivocada por pessoas que não são diretamente ligadas ao universo da guitarra. “Power Chord” é um termo técnico, usado para acordes que utilizam apenas duas notas (a tônica, ou fundamental, e a quinta – às vezes também é utilizada a oitava, ou seja, a nota fundamental repetida num registro mais agudo).

Tais acordes não tem a terça (a terceira nota da escala), que é quem determina se o acorde é maior ou menor. Assim, o power chord soa mais “genérico”, mais conciso, mas também mais poderoso. Ele foi popularizado e difundido principalmente a partir da atuação de Tony Iommi no Black Sabbath, e logo se tornou onipresente no estilo, sendo possível ouví-lo em bandas de todo o espectro sonoro do rock, de Metallica a Green Day.

Mas embora ele também seja utilizado no AC/DC, boa parte dos acordes empregados por Malcolm nos riffs não eram power chords, mas acordes abertos – ou seja, aqueles desenhos de acordes mais tradicionais e simples, aprendidos por quem começa a se aventurar no violão.

Estes acordes, conhecidos por praticamente qualquer violonista/guitarrista do mundo, tocados com uma boa dose de overdrive e a atitude correta, ajudaram a banda a chegar ao topo do rock’n’roll (e é um longo caminho até lá).

Esta – talvez desnecessária – digressão técnica foi uma tentativa de mostrar um pouco das peculiaridades técnicas deste guitarrista, esboçar uma explicação para sua importância grandiosa no panteão do rock.

Como diz o comunicado oficial lançado pela banda (reproduzido abaixo), muito bom trabalho, Malcolm.

Obrigado.

Today it is with deep heartfelt sadness that AC/DC has to announce the passing of Malcolm Young.

Malcolm, along with Angus, was the founder and creator of AC/DC.
With enormous dedication and commitment he was the driving force behind the band.
As a guitarist, songwriter and visionary he was a perfectionist and a unique man.
He always stuck to his guns and did and said exactly what he wanted.
He took great pride in all that he endeavored.
His loyalty to the fans was unsurpassed.

.

As his brother it is hard to express in words what he has meant to me during my life, the bond we had was unique and very special.

He leaves behind an enormous legacy that will live on forever.

Malcolm, job well done.

Tradução livre:

Hoje é com um profundo sentimento de tristeza que o AC/DC anuncia o falecimento de Malcolm Young.

Malcolm, junto com Angus, foi o fundador e criador do AC/DC.

Com enorme dedicação e comprometimento, ele era a força motriz da banda.

Como guitarrista, compositor e visionário ele era um homem único e perfeccionista.

Ele sempre se ateve a seus princípios e fez e disse exatamente o que queria.
Ele teve muito orgulho de tudo que tentou.

Sua lealdade aos fãs era insuperável.

.

Como seu irmão é difícil expressar em palavras o que ele significou pra mim durante minha vida, o laço que tínhamos era único e muito especial.

Ele deixa pra trás um grande legado que viverá para sempre.

Malcolm, muito bom trabalho.

GOSTOU DESTE CONTEÚDO? ASSINE NOSSA NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *